Série Gramíneas Tropicais - Gênero Avena (Avena strigosa - Aveia preta)

HERBERT VILELA
Engenheiro Agrônomo e Doutor

1 - INTRODUÇÃO

Avena strigosa  Schreb. A  aveia preta é uma gramínea de inverno sendo  mais indicada para corte, possui alta capacidade de perfilhamento e com crescimento rápido. É grande produtora da massa verde, rica em proteína e bastante apreciada pelos animais como forrageira. A aveia var. Strigosa é adaptada a solos mais pobres e baixas temperaturas dos trópicos e é muito cultivada para forragem, principalmente na região Sudeste e Sul.

Algumas plantas, principalmente as anuais são capazes de acumular grande quantidade de nitrato, principalmente quando recebem uma adequada adubação nitrogenada e cortadas novas ou pastejadas. A concentração de nitrato varia com as partes da planta, maior nas partes inferiores do caule  e menor nas folhas, inflorescência e grãos.

Casos eventuais de intoxicação por nitratos: os nitratos --(HNO3) não são muito tóxicos, enquanto os nitritos --(HNO2) são muito tóxicos para ruminantes (bovinos, caprinos e ovinos). Há conversão de nitrato para nitrito no rúmen, pelas bactérias e deste para amônia que é absorvida pela parede do rúmen alcançando o fígado pela corrente sangüínea e convertida em uréia. Se o suprimento de nitrato for mantido alto há então o acumulo do mesmo.

As quantidades de nitrato podem ser apresentadas da seguinte forma(Base MS):

Categoria % N03 % N03-N % KN03 Ocorrências
1 0.5 0.12 0.81 Não há problemas
2 0.5 – 0,9 0.12 -0.23 0.81 - 1.63 Cuidados especiais-podem ocorrer sintomas subclínicos
3 1.0 0.23 1.63 Problemas com alta concentração - mortes e abortos 

A fração solúvel fibra do grão de aveia tem mostrado papel importante na redução do colesterol (ruim) no soro sangüíneo do homem, aumentando conseqüentemente a sua participação na sua dieta, nos últimos anos.

As principais doenças da Aveia são Puccinia coronate, a Septoria avenae, a Puccinia graminis, a Pseudomonas conafaciens, a Ustilago avenae e a Ustilago levis.

2 - CARACTERÍSTICAS BÁSICAS

  • Nome científico: Avena strigosa Schreb
  • Origem: Europa.
  • Ciclo vegetativo: anual
  • Forma de crescimento: ereta, cespitosa
  • Altura da planta: crescimento livre até 1,50m
  • Formas de uso: verde no cocho e eventualmente, produção de feno e silagem
  • Digestibilidade: satisfatória
  • Palatabilidade: satisfatória
  • Numero de sementes: 30 000 sementes por quilo
  • Número de cromossomos: hexaploide ( 2n = 6x = 42)

FIGURA 1- PLANTAS DE AVEIA PRETA

FIGURA 2 - INFLORESCENCIA EM AVENA

3 - RECOMENDAÇÕES AGRONÔMICAS

  • Nível de fertilidade do solo: acima de média  fertilidade e com pH em torno de 6,5
  • Forma de plantio: sementes
  • Modo de plantio: em linha
  • Profundidade de plantio: 3 a 5cm
  • Tolerância à seca: nenhuma
  • Tolerância a solos mal drenados: regular, prefere solos bem drenados
  • Precipitação pluviométrica requerida: acima de 770mm/ano
  • Produção de forragem:  8-12tMS/ha/ano
  • Precipitação pluviométrica requerida: acima de 770mm/ano
  • Tolerância ao frio: alta
  • Sementes necessárias:  80 a 100kg por hectare
  • Espaçamento: 0,20 a 0,30m entre linhas
  • Época de plantio:  março a maio
  • Tempo para a utilização:  40 a 60 dias após a germinação
  • Consorciação: nenhuma
  • Adubação: de acordo com as recomendações técnicas determinadas pela análise de solo
  • Dormência da semente: inexistente
  • Pureza:  mínima 95%.
  • Germinação:  mínima  75%.

4 - COMPOSIÇÃO BROMATOLÓGICA DA AVEIA FORRAGEIRA(PRETA)

A - Composição bromatológica em função da idade da planta

PERIODO VEGETATIVO E/OU
FORMA DE USO
COMPOSIÇÃO BROMATOLÓGICA % DIGEST.%
  MS PB FB EE FDA CINZA MS
Sete  semanas 17,7 26,1 18,1 5,3 38,8 11,7 72,5
Oito semanas 18,0 22,7 18,9 5,1 42,2 11,1 71,2
Nove semanas 18,6 18,4 19,2 5,1 46,8 10,5 70,5
Dez semanas 20,0 16,6 20,3 5,1 47,8 10,2 69,5
Onze semanas 21,1 14,0 20,9 4,5 51,5 9,1 68,7
Doze semanas 21,4 11,8 20,3 4,0 53,5 10,4 67,5
Treze semanas 21,1 10,0 19,6 3,6 58,3 8,5 66,5
Quatorze semanas 23,3 9,8 18,3 3,1 61,9 6,9 63,5
Quinze semanas 28,3 8,5 18,4 3,0 63,9 6,8 59,2

B - Coeficientes de Digestibilidade (%) de alguns componentes da MS e Energia Metabolizavel da MS da aveia em função do estádio de desenvolvimento

ESTADIO DE DESENVOLVIMENTO COEFICIENTES DE DIGESTIBILIDADE %
  PB FB MM ENN EM
Fresca, 7 semanas 86.6 80.6 47.9 87.7 2,93
Fresca, 8 semanas 84.9 87.6 43.9 88.9 2.96
Fresca, 9 semanas 81.9 85.7 49.7 89.2 2.95
Fresca, 10 semanas 82.6 88.2 50.8 91.0 3.01
Fresca, 11 semanas 79.2 97.7 46.2 90.9 3.07
Fresca, 12 semanas 57.7 86.1 39.0 91.2 2.81
Fresca, 13 semanas 68.6 84.2 33.3 90.7 2.90
Fresca, 14 semanas 62.1 80.2 26.1 90.2 2.88
Fresca, 15 semanas 56.3 80.3 29.5 89.3 2.86

5 - LITERATURA CONSULTADA

CARNEIRO, A.M. 1996. Forragicultura. Escola Veterinária da UFMG. Belo Horizonte. 86p. ( Bol. Técnico ).1996.

FAO – 2004a  http://www.fao.org/ag/AGP/AGPC/doc/Gbase/Latin.htm

FAO – 2004b http://www.fao.org/ag/AGA/AGAP/FRG/afris/es/Data/31.HTM

VALADARES FILHO, SEBASTIÃO DE CAMPOS. Nutrição, Avaliação de Alimentos e Tabelas de  Composição de Alimentos para Bovinos. XXXVII - Reunião Anual da SBZ, 37, Viçosa, 2000,  Anais... Viçosa: 2000. P.

VILELA, H. 1999. Formação e Adubação de  Pastagem. Ed. CPT. Viçosa (MG). 102p.

 
     
 
   
  Copyright 2009 © Portal Agronomia
Desenvolvido por Digital Pixel